Mensagem

COMUNIDADE “ALCANÇANDO A PLENITUDE JUNTOS”

COMUNIDADE

 “Alcançando a Plenitude Juntos”

·         Objetivo da mensagem:

o   Apontar para o papel único da igreja local ao levar cada filha/o de Deus a alcançar a plenitude disponível em Cristo.

·         O que Deus fez:

o   Criou a Igreja para, entre outros, nos moldar e aprimorar.

·         Desafios (“você-fará?”):

o   Aceita o desafio de se comprometer com a igreja local, participando ativamente e deixando-se ser moldado no convívio com outros?

Introdução

·         “Queremos ser uma igreja que adora a Deus em liberdade, vive a vida completa e transforma a cidade”.

Efésios 4.11-13 E ele designou alguns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas, e outros para pastores e mestres, 12 com o fim de preparar os santos para a obra do ministério, para que o corpo de Cristo seja edificado, 13 até que todos alcancemos a unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, e cheguemos à maturidade, atingindo a medida da plenitude de Cristo.

1.       O livro de Efésios

·         Paulo escreveu em prisão domiciliar, em Roma.

·         Cópias da carta com “aos de Laodiceia”, ou até com espaço em branco.

·         Tema central: Cristo e a Igreja.

·         Como é típico de Paulo: teoria + prática.

·         Em Efésios: capítulos 1-3 teoria, 4-6 prática.

·         Efésios desafia o leitor a transformar o que pensa de si mesmo.

·         Resumo: “Antes eu era insensato, agora estou em Cristo.”

·         Estamos sob influência dos 5 ministérios, precisamos agir nestas 5 frentes, temos dons/necessidades nestas 5 áreas.

·         Para quê? “Com o fim de...”, “até que...”.

2.       Ministério aos Santos

·         Comunhão/comunidade é a base da vida da igreja.

Atos 2.42-46 Eles se dedicavam ao ensino dos apóstolos e à comunhão, partir do pão, orações... Todos os dias, continuavam a reunir-se no pátio do templo. Partiam o pão em suas casas.

·         Identidade é a base para você, koinonia é a base para nós.

·         A comunidade é o lugar escolhido por Deus para colocarmos em prática tudo o que somos e sabemos.

·         É na comunidade que vou ver se minha identidade realmente está fundamentada em Cristo ou na opinião do outro.

·         Isto responde à pergunta: por quê?

com o fim de preparar os santos para a obra do ministério, para que o corpo de Cristo seja edificado, 13 até que todos alcancemos a unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, e cheguemos à maturidade, atingindo a medida da plenitude de Cristo.

·         Queremos ser uma Igreja que vive a vida completa.

João 10.10 O ladrão vem apenas para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham plenamente / em abundância.

·         Plenitude / abundância / completo: perisson.

·         Quanto é pleno, abundante, completo? Três conceitos diferentes.

·         Fora do comum, (Inglês) overflow

·         Ou, “mais”. Então nossa meta é ‘mais’.

·         Quanto? À medida que o Espírito Santo quiser, e eu não atrapalhar.

3.       Uma Igreja mais...

·         Preparar os santos para que o Corpo de Cristo seja ‘mais ‘ edificado.

·         Vamos fazer isto até que a unidade da fé seja ainda ‘mais’ que hoje.

·         Que o conhecimento do Filho (Jesus) seja ‘mais’ maior.

·         ‘Mais’ maturidade.

·         Lembra que falamos sobre o desconforto?

·         Sim, Igreja tem um aspecto desconfortável.

·         E viver em comunidade traz seus desafios:

·         Charles Spurgeon, um dos mais famosos pregadores britânicos Séc. XIX:

o    “A Igreja pode ter defeitos, mas isso não é desculpa para não fazer parte, se você pertence ao Senhor Jesus.”

·         A Igreja não é uma instituição para pessoas perfeitas. Mas um santuário para pessoas salvas pela graça, que apesar da Salvação precisam toda a ajuda disponível dos irmãos e irmãs da igreja local (Brett McCracken, Uncomfortable).

·         Não existe iChurch, não existe eu-greja.

·         Sigla “I-“: eu, individualismo, egocentrismo, autossuficiência.

·         Igreja:

o    Compartilha suas coisas.

o    Compartilha as coisas do coração.

o    Compartilha dores e sofrimentos.

o    É uma família que vai além de “Eu, a patroa e as crianças”.

·         Na prática, quem se envolve em uma igreja (conforme pesquisas/estatísticas):

o    Está mais atento e envolvido em questões de injustiça social.

o    Serve mais ao próximo.

o    Está mais preocupado com o próximo, inclusive evangelização.

o    Sente-se mais bem preparado para defender sua fé.

Perguntas aos PG’s:

·         Qual aspecto mais ‘confortável’ de participar de uma igreja local – o que é mais agradável e fácil de aceitar? E qual seria um aspecto ‘desconfortável’?

·         Dentro do seu PG, quais aspectos de uma igreja já são praticados e quais ainda estão em segundo plano?

Pr. Fridbert August